Pesquisar neste blog

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Colóquio - Memória da Ancestralidade da Pequena África e sua Resistência


 Tem  como  objetivo,  promoção  da  cultura,  defesa  e  conservação  do  patrimônio histórico  e  artístico,  promovendo  atividades  culturais , com a finalidade de propor reflexões, por esta razão, estão realizando o Colóquio " Memória da Ancestralidade daPequena África e sua Resistência", para estimular projetos educacionais e de pesquisa, para a preservação da memória relacionada aos fatos e acontecimentos afins ao período da escravidão legal, com seus desdobramentos nos dias atuais, analisando suas conseqüências ao longo do processo civilizatório, incorporados à diversidade inter-étnica que compõe a totalidade do povo brasileiro.
 

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Rei de Ifon estado da Oxum da Nigéria, nos dias 20 e 21 de novembro, no Rio

Rei de Ifon da Nigéria adere reforçar afrodescendentes no mês da Consciência Negra 20                

Rio de Janeiro A passagem da comitiva do Rei de Ifon pelo Rio de Janeiro recupera, na prática, o conceito de territorialidade de Milton Santos. Se não vejamos:Ele circulou pela Pequena África com a neta de Tia Ciata, Gracy Moreira. Visitou o Cais do Valongo acompanhado por várias Yalorixás como Mãe Torody e Penha de Iansã. No Cemitério dos Pretos Novos, na Gamboa, participou de ritual em homenagem aos milhares de corpos de jovens africanos, ali, sepultados.Na Igreja Nossa Senhora do Rosário e São Benedito conheceu o Museu do Negro onde se deparou com Luiz Gama, Cruz e Souza, André Rebouças e com objetos de tortura de africanos escravizados durante 400 anos em território brasileiro.






Plantas Sagradas em São Gonçalo. A Comunidade Tradicional Rumpaine Hevioso Zooriokum Mean, no bairro de Jardim de Bom Retiro - São Gonçalo – 47 Km do Centro do RJ, recebeu do Rei de Ifon para almoço com vários líderes espirituais como Gaiaku Deusimar, Ícaro de Oxossi, Marcos de Iansã, Mãe Rosangela de Iya, Tata Edson e Oloye Marcelo Monteiro. 
        

As religiosas e os religiosos emocionaram o Rei de Ifon ao aplaudi-lo no ritual das árvores sagradas. O Rei de Ifon deixou sua marca no Terreiro de Gaiaku Deusimar através do plantio de Obi e de Orobo.