Pesquisar neste blog

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Emissão de Certidões em Maternidade Contribui para Queda do Registro Tardio.


Fonte: Humberto Monteiro (ARPEN/RJ)

Atualmente cerca de 300 maternidades e hospitais no Brasil emitem certidão de nascimento, nos moldes do que estabelece o Provimento nº 13 da Corregedoria do CNJ, de acordo com dados do Justiça Aberta. Nessas unidades, as mães podem registrar seus filhos logo após o nascimento deles, medida que tem contribuído para reduzir o número de registros tardios no País. Só em São Paulo, estado que concentra o maior número de unidades de saúde interligadas a cartórios de registro civil, 236.819 certidões já foram emitidas.

"O registro é indispensável para a vida civil do cidadão. É uma questão prioritária de acesso à Justiça e à cidadania", afirma o conselheiro do CNJ Ney Freitas, presidente da Comissão de Acesso à Justiça e à Cidadania. Sem o registro, a pessoa fica privada do acesso a documentos básicos, como identidade e CPF, além de não poder participar de programas de governo.
Estudo divulgado nesta segunda-feira (17/12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revela que o percentual de crianças registradas no cartório após o prazo legal de três meses caiu no Brasil na comparação dos últimos dois anos. No ano passado, do total de registros realizados, 6,7% (202.636) foram feitos no ano posterior ao nascimento da criança. Em 2010, 7,1% (ou 209.903) foram feitos com atraso, o que representa uma redução de quatro pontos percentuais. Nos últimos 10 anos essa proporção caiu de 28,2% para 6,7%.
A queda é atribuída em grande parte a campanhas e políticas públicas voltadas ao maior acesso à certidão de nascimento, como a emissão do documento nas maternidades. Tais programas também contribuíram para aumentar em 2% o número global de registros civis feitos em 2011, quando comparado ao ano anterior, segundo o estudo do IBGE.
Em setembro de 2010, a Corregedoria do CNJ regulamentou a emissão instantânea das certidões de nascimento nas unidades de saúde onde ocorrem partos, o que facilitou o acesso das mães ao documento logo após o nascimento das crianças. O Provimento nº 13 criou as chamadas unidades interligadas, conectando, por meio de um sistema na internet, hospitais e maternidades a 872 cartórios com atribuição de registro civil.
Amazônia Legal - A queda mais significativa no percentual de registro tardio nos últimos 10 anos, segundo o IBGE, foi verificada no Maranhão (de 69,0% em 2001 para 16,0% em 2011) e no Amazonas (de 60,4% para 26,2%). Apesar disso, a falta de estrutura nessas áreas ainda compromete o acesso dos cidadãos ao documento. Segundo o estudo, grande parte das áreas com menos de 80% de registros realizados no prazo de 90 dias, em 2011, estão na Amazônia Legal.
Com o objetivo de melhorar o acesso ao registro civil nessas regiões, o CNJ desenvolve outro programa, em parceria com a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República e a Fundação Nacional do Índio, entre outros órgãos, para garantir a comunidades indígenas o acesso a documentos básicos, entre eles a certidão de nascimento. Chamado Cidadania, Direito de Todos, desde que foi criado em 2010, o programa já emitiu 20 mil documentos, como certidão de nascimento, CPF e carteira de trabalho. A meta é expedir 100 mil até julho do ano que vem.
O mutirão já foi realizado em Rondônia, Mato Grosso do Sul, Tocantins e Amazonas. Tanto que, no ano passado, a queda do registro tardio de nascimento foi verificada em quase todas as unidades da Federação na comparação com o ano de 2006, exceto em Rondônia e Mato Grosso do Sul, por causa desses mutirões de registros civis para a população indígena. "A melhora nos indicadores é resultado do trabalho conjunto que vem sendo realizado pelos tribunais brasileiros, pelo CNJ e órgãos de outros Poderes", conclui Ney Freitas.


quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

O CORDÃO DA BOLA COMEMORA 94º ANIVERSÁRIO.

Um dos mais tradicionais blocos de carnaval do Rio, o Cordão da Bola Preta antecipou a comemoração do seu aniversário e marcou a festa para esta sexta-feira (28) no Centro do Rio. O bloco símbolo do carnaval de rua carioca completa 94 anos no próximo dia 31, mas para não conflitar com a festa de réveillon sempre agenda a celebração especial para antes desta data.

A programação de aniversário terá inicio às 10:30 horas, com missa em ação de graças na Igreja e São Jorge, na Praça da República. Às 19h, desfile pré-réveillon na Avenida Rio Branco, saindo da esquina da Avenida Presidente Vargas em direção à Cinelândia, com os bambas da Banda do Cordão da Bola Preta interpretando marchinhas de carnaval e sambas-enredos para garantir animação dos foliões. Às 21h, a Banda do Cordão se junta à Turma do Estácio com participação especial de Monarco da Portela para o Baile pré-réveillon no Centro Cultural da Bola Preta, na Rua da Relação, 3, Lapa. O ingresso é R$20 e a censura 18 anos.

“São mais de 30 anos de tradição dessa festa bonita que celebra a vida, a nossa gente, e ainda, um novo ano sempre cheio de expectativas para o Cordão. E 2013 promete”, diz Pedro Ernesto Marinho, presidente do bloco.

O entusiasmo do presidente contagia toda a Diretoria que comemora, inclusive, a revitalização da sede do Cordão no próximo ano. O local ganhará obras da Riourbe - Empresa Municipal de Obras, com previsão para início em março, com criação ainda de um Centro Cultural, com restaurante e centro de memória.

"Teremos alguns projetos voltados para a comunidade em vários pontos do Rio que acontecerão durante o período que a sede estará em obras. Mas, por hora, as energias estão voltadas para o carnaval. Este ano, recebemos 2,2 milhões de pessoas, amigos de fé do Cordão, com organização e segurança. A expectativa é ter mais foliões em 2013 e, por isso, precisamos de atenção total para planejamento e garantia de ordem, segurança e muita alegria para todos.", finaliza Marinho.

Mais informações sobre a programação de aniversário, eventos e agenda do Cordão da Bola Preta pelos telefones: 21 2240-8049 e 21 2240-8099.

Serviço:
Comemoração do 94º aniversário do Cordão da Bola Preta
Data: Sexta-feira (28.12)
Programação:
10:30h – Missa de Ação de Graças na Igreja de São Jorge (Praça da República)
19:00h – Desfile Pré-Reveillon na Avenida Rio Branco (saída da Avenida Presidente Vargas em direção à Cinelândia)
21:00h – Baile Pré-Reveillon no Centro Cultural Cordão da Bola Preta (Rua da Relação, 3 – Lapa) – com apresentação da Banda do Cordão e da Turma do Estácio, além de participação especial de Monarco da Portela. Ingresso: R$20. Censura 18 anos.

Assessoria:
Bel Duarte - 21 8615-4042

Nelson Vasconcelos - 21 8138-0192






segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

VI SEMINÁRIO DE EMPREENDEDORISMO NA ÁREA MUSICAL .

LATIN AMERICAN QUALITY AWARDS 2011
ORDEM DO MÉRITO CULTURAL 2008


O projeto Música no Museu é realizado há 15 anos e, além dos concertos gratuitos em museus, igrejas, centros culturais, palácios e outros espaços históricos de norte a sul do Brasil, desenvolve, paralelamente ações em prol da ampliação do horizonte musical. Sendo assim, já na versão VI estamos dando sequência ao nosso Seminário de Empreendedorismo na Área Musical.

O evento será realizado no Centro Cultural da Justiça do Trabalho (Av.Presidente Antonio Carlos, 251 térreo) no dia 12 de dezembro de 2012 (4ª. feira) de 10:00 às 17h. Desta vez queremos dar dois enfoques: inserção social através da música e empreendedorismo. O especialista em Economia da Cultura, Luiz Carlos Prestes Filho, autor do estudo Cadeia Produtiva da Economia da Música, é o Curador do VI Seminário de Empreendedorismo na Área Musical.

OBJETIVOS: Ressaltar a música como instrumento de resgate social, apresentando um painel da música entendendo suas dificuldades e buscando diferentes alternativas para a abertura e consolidação do mercado através do intercâmbio entre os seus diversos agentes da Cadeia Produtiva da Economia da Música.
Apresentar iniciativas de inserção social através da música, fomentando a prática do empreendedorismo e a
importância da formalização como empreendedor individual, junto aos jovens estudantes e profissionais de música no Brasil, apoiando-os a tornarem-se Empreendedores Individuais e promovendo o empreendedorismo coletivo e associativo e, assim, estimulando o surgimento de empreendimentos coletivos nas suas variantes. Conhecido o ambiente de trabalho criativo, identificam-se os problemas e necessidades para o desenvolvimento de oportunidades de negócios existentesque envolvem os consumidores da música
(platéia, apreciadores, entre outros, mas também aqueles que atuam na retaguarda de todas estas manifestações como afinadores, engenheiros de som, luthiers ou especialistas em transporte de instrumentos musicais, por exemplo) e, assim, valorizar o profissional/empreendedor de música buscando a abertura de novos mercados. O evento descreverá as ações voltadas para a valorização do músico e de todo o seu universo no atual contexto cultural brasileiro, na palavra de especialistas nas áreas envolvidas, visando torná-la um elemento central no projeto de desenvolvimento do Brasil.  

FOCO: Historicamente, a inexistência de um debate sólido envolvendo todas as áreas interessadas na música de enfraquece o setor, gerando ações isoladas que, se por um lado trazem ganhos especificos para alguns, por outro o enfraquece como um todo já que não existe uma união em torno de idéias. Ressalte-se a ação do Ministério da Cultura que desde 2003 vem buscando tratar a cultura em três dimensões essenciais: cultura não é só arte, muito menos arte consagrada; cultura é um direito de cidadania, devendo ser reconhecida enquanto economia. No mundo inteiro esta apreciação já é um fato, mas para o Estado brasileiro ainda é um reconhecimento muito recente e um conceito em construção. A Cultura constitui, inegavelmente, uma economia poderosa, sendo hoje uma das que mais crescem no mundo: gera empregos, paga melhores salários e não esgota a natureza. Entendendo isto, Música no Museu, na comemoração dos seus 15 anos de concertos ininterruptos e no alto dos mais de 400 a 500 concertos/ano que realiza anualmente, procura dar a sequência a esta nova dimensão no debate da música reunindo. em mesas istintas. os seus diversos aspectos.
Sergio da Costa e Silva

Música no Museu
(21) 2233-6711 / 2253-8645
www.musicanomuseu.com.br

P R O G R A M A
ABERTURA

10 h   “ECONOMIA CRIATIVA E EMPREENDEDORISMO”
Ministra da Cultura
Marta Suplicy (*)

Desembargadora Federal
Diretora do CC Justiça do Trabalho
Maria das Graças Paranhos

Presidente da FUNARTE
Antônio Grassi (*)

Diretor do SEBRAE
Evandro Peçanha

Comissão de Cultura
da Câmara Municipal - RJ
Vereador Reimond

Secretário Municipal de Cultura - RJ
Sérgio Sá Leitão (*)

Secretária Nacional
de Economia Criativa
Claudia Leitão

Diretora do Escritório Brasil
da Organização dos Estados
Iberoamericanos
Ivana de Siqueira

Diretor de Música no Museu
Sergio da Costa e Silva

11h    “ECONOMIA DA CULTURA - NÚCLEO DA ECONOMIA CRIATIVA”
Assessor para o Desenvolvimento da
Indústria Cultural da SEDEIS
Luiz Carlos Prestes Filho

Diretor do projeto SOMOS
“Comercialização de Conteúdo
Cultural Brasileiro”
Alexandre Agra

Professora da Academia da Seresta /
Festival Chiquinha Gonzaga
Maria Vitória Leal

12h ALMOÇO (LIVRE)

   
12:30h   CONCERTO
MÚSICA NO MUSEU
Seresteiros da Academia da Seresta /Festival Chiquinha Gonzaga
Música Cigana / Mio Vacite

13:30h    MERCADO E MÚSICA
Os Profissionais da Música: Afinador,Transportador de Instrumentos
Musicais, Produtor Musical, Engenheiro de Som, Luthier e outros
“Projeto Plumas & Paetês”
José Antônio Rodrigues

“O Potencial do Mercado da Música no
Rio de Janeiro. Exemplo: Canto Lírico”
Samanta Sobral

“A Legislação do Micro
Empreendedor Individual e os projetos do Sebrae/RJ”
Deise Barroso

“Jovens e o Mercado de Trabalho da Música”
Representante do CIEE

15h      A MÚSICA E O SEU VALOR INTANGÍVEL

“As Raízes da Música Carioca e seu Potencial”
Alessandro Ventura

“A Música Brasileira e sua Arrecadação através da Execução Pública”
Superintendente Nacional do ECAD
Glória Braga

“A Música e o Potencial de suas Raízes Etnicas”
Presidente da União Cigana do Brasil
Mio Vacite

“A Mãe de Santo Tia Ciata e o Samba Carioca”
Gracy Mary Moreira

“A influência da Cultura Mulçumana na Música Brasileira”
Sami Armed Isbelle

17h  ENCERRAMENTO
Academia da Seresta / Festival Chiquinha Gonzaga & Seresteiros
Sandra Belém (intérprete/voz) e Nelson Charret (violão)

Local: CENTRO CULTURAL JUSTIÇA DO TRABALHO
Av. Pres Antonio Carlos, 251 - Centro
12 de dezembro de 2012 das 10 às 17h



VAGAS LIMITADAS
www.musicanomuseu.com.br

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

A Pimpolhos da Grande Rio convida, aos bastidores do Carnaval Carioca.

O projeto está pronto para ser aberto ao público!!!! É novidade, é bem legal! No dia 10 de dezembro é a inauguração - Cidade do Samba, barracão da Grande Rio (entrada do estacionamento em frente ao barracão da "Vizinha Faldeira", a partir das 16hrs! Todos estão convidados a conhecer o super painel/homenagem que conta a história do samba, da Pequena África, enredo da Pimpolhos da Grande Rio. —



I SEMINÁRIO REGIONAL DIVERSIDADE E SUPERAÇÃO DO RACISMO: AÇÕES, CRÍTICAS E PERSPECTIVAS DA EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS NA BAIXADA FLUMINENSE.



O FÓRUM PERMANENTE DE EDUCAÇÃO E DIVERSIDADE ÉTNICO- RACIAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO em parceria com a UFRRJ-Leafro/ Neab, realizam o I SEMINÁRIO REGIONAL DIVERSIDADE E SUPERAÇÃO DO RACISMO: AÇÕES, CRÍTICAS E PERSPECTIVAS DA EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS NA BAIXADA FLUMINENSE, com objetivo de contribuir na formação continuada de gestores e professores, por meio de um processo de reflexão crítica, com ênfase na análise da evolução da aplicação da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional nos seus artigos 26A e 79B. Considerando os principais avanços e dificuldades para sua consolidação efetiva expressa na formação de professores, nas políticas implementadas pelos governos federal, estadual e municipal e na mudança do Projeto Político Pedagógico das escolas. O evento ocorrerá no dia 6 de dezembro de 2012 das 8h as 20h00.

Local UFFRJ-Instituto Multidisciplinar/ Nova Iguaçu
Av. Governador Roberto Silveira
Centro - Nova Iguaçu-RJ (ao lado do antigo Aero Clube)


I SEMINÁRIO REGIONAL DIVERSIDADE E SUPERAÇÃO DO RACISMO: AÇÕES, CRÍTICAS E PERSPECTIVAS DA EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS NA BAIXADA FLUMINENSE.

O FÓRUM PERMANENTE DE EDUCAÇÃO E DIVERSIDADE ÉTNICO- RACIAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO em parceria com a UFRRJ-Leafro/ Neab, realizam o I SEMINÁRIO REGIONAL DIVERSIDADE E SUPERAÇÃO DO RACISMO: AÇÕES, CRÍTICAS E PERSPECTIVAS DA EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS NA BAIXADA FLUMINENSE, com objetivo de contribuir na formação continuada de gestores e professores, por meio de um processo de reflexão crítica, com ênfase na análise da evolução da aplicação da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional nos seus artigos 26A e 79B. Considerando os principais avanços e dificuldades para sua consolidação efetiva expressa na formação de professores, nas políticas implementadas pelos governos federal, estadual e municipal e na mudança do Projeto Político Pedagógico das escolas. O evento ocorrerá no dia 6 de dezembro de 2012 das 8h as 20h00. 

Local UFFRJ-Instituto Multidisciplinar/ Nova Iguaçu
 Av. Governador Roberto Silveira
Centro - Nova Iguaçu-RJ (ao lado do antigo Aero Clube)




 

PROGRAMAÇÃO:

Manhã
08h00. ás 10h00 – Credenciamento
09h00. – Mesa de Abertura Institucional (apresentação hino nacional em percussão)
Fórum RJ, UFRRJ/Leafro, SEMED-NI,  SEEDUC-RJ, SEEDUC-RJ
9h45min - Palestra: Ações Afirmativas, Educação e a Mobilidade Social dos Afro-brasileiros. (o impacto das ações afirmativas e da educação na vida dos jovens negros)
 Profº. Dr. Ahyas Siss (UFRRJ/ Leafro)
Profª Dr. Claudia Miranda (UNIRIO)
10h45min - Debate
11h30min - Palestra: Ações e Perspectivas Governamentais para a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, nos seus artigos 26ª e 79B. (panorama das ações, recursos, programas e metas governamentais para a ERER)
Profº Dr. Amauri Mendes Pereira ( Doutor pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)/ UEZO).
SEEDUC-RJ


12h10min - Debate
12h30min - Almoço
14h – Palestra: A Lei que Fala e a Escola que Transforma (a amplitude temática da Lei 10639/03 e as possibilidades de transformação crítica dos estudantes numa perspectiva de diversidade social)
Prof.ª Drª Azoilda Loretto da Trindade.
14h30min – Debate
14h45 – Apresentação cultural – Escola Estadual  João do Vale – Grupo Batukaê
14h50min – Palestra: Ações e Perspectivas Municipais para a Lei Diretrizes e Bases da Educação Nacional, nos seus artigos 26ª e 79B. (panorama das ações, recursos, programas e metas municipais para a ERER)
Secretarias Municipais de Educação da Baixada Fluminense
15h50min - Debate
16h25min - Entrega de “menção honrosa de reconhecimento” do Fórum RJ a escolas e professores da região pela aplicação da Lei Diretrizes e Bases da Educação Nacional nos seus artigos 26A e 79B.
17h25min – Apresentação Cultural – Marcelo Negrett – Voz e violão
17h40min – Palestra: Experiências não governamentais para a Consolidação da Lei Diretrizes e Bases da Educação Nacional, nos seus artigos 26A e 79B. (Lei 10.639/03 e 11.645/08 relato de projetos desenvolvidos, parcerias e resultados obtidos).
CEAP - Centro de Articulação de Populações Marginalizadas
IPEAFRO - Instituto de Pesquisas e Estudos Afro Brasileiros
Associação ESTIMATIVA

18h25min – Debate
19h00min – Mesa Redonda: O papel das universidades na formação de profissionais da educação para a educação das relações étnico-raciais.
Universidades públicas da Baixada Fluminense – UFRRJ, FEBEF e CEFET-Nilópolis
19h45min – Apresentação cultural e encerramento – 


PROGRAMAÇÃO ESPECIAL:
• Exposição das ações nas escolas da Baixada Fluminense pela implementação da LDB (Leis 10.639/03 e 11.645/08).
• Exposição e venda de livros e artesanato.
• Apresentação cultural.
• Lançamento de livros: Rosana Monteiro, Alexandre Nascimento, Éle Semog e Renato Noguera.
Inscrições pelo email forumetnicoracialrj@gmail.com     
*Os certificados serão entregues durante o evento a partir das 17h30m.

PROGRAMAÇÃO:

Manhã
08h00. ás 10h00 – Credenciamento
09h00. – Mesa de Abertura Institucional (apresentação hino nacional em percussão)
Fórum RJ, UFRRJ/Leafro, SEMED-NI, SEEDUC-RJ, SEEDUC-RJ
9h45min - Palestra: Ações Afirmativas, Educação e a Mobilidade Social dos Afro-brasileiros. (o impacto das ações afirmativas e da educação na vida dos jovens negros)
Profº. Dr. Ahyas Siss (UFRRJ/ Leafro)
Profª Dr. Claudia Miranda (UNIRIO)
10h45min - Debate
11h30min - Palestra: Ações e Perspectivas Governamentais para a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, nos seus artigos 26ª e 79B. (panorama das ações, recursos, programas e metas governamentais para a ERER)
Profº Dr. Amauri Mendes Pereira ( Doutor pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)/ UEZO).
SEEDUC-RJ


12h10min - Debate
12h30min - Almoço
14h – Palestra: A Lei que Fala e a Escola que Transforma (a amplitude temática da Lei 10639/03 e as possibilidades de transformação crítica dos estudantes numa perspectiva de diversidade social)
Prof.ª Drª Azoilda Loretto da Trindade.
14h30min – Debate
14h45 – Apresentação cultural – Escola Estadual João do Vale – Grupo Batukaê
14h50min – Palestra: Ações e Perspectivas Municipais para a Lei Diretrizes e Bases da Educação Nacional, nos seus artigos 26ª e 79B. (panorama das ações, recursos, programas e metas municipais para a ERER)
Secretarias Municipais de Educação da Baixada Fluminense
15h50min - Debate
16h25min - Entrega de “menção honrosa de reconhecimento” do Fórum RJ a escolas e professores da região pela aplicação da Lei Diretrizes e Bases da Educação Nacional nos seus artigos 26A e 79B.
17h25min – Apresentação Cultural – Marcelo Negrett – Voz e violão
17h40min – Palestra: Experiências não governamentais para a Consolidação da Lei Diretrizes e Bases da Educação Nacional, nos seus artigos 26A e 79B. (Lei 10.639/03 e 11.645/08 relato de projetos desenvolvidos, parcerias e resultados obtidos).
CEAP - Centro de Articulação de Populações Marginalizadas
IPEAFRO - Instituto de Pesquisas e Estudos Afro Brasileiros
Associação ESTIMATIVA

18h25min – Debate
19h00min – Mesa Redonda: O papel das universidades na formação de profissionais da educação para a educação das relações étnico-raciais.
Universidades públicas da Baixada Fluminense – UFRRJ, FEBEF e CEFET-Nilópolis
19h45min – Apresentação cultural e encerramento –


PROGRAMAÇÃO ESPECIAL:
• Exposição das ações nas escolas da Baixada Fluminense pela implementação da LDB (Leis 10.639/03 e 11.645/08).
• Exposição e venda de livros e artesanato.
• Apresentação cultural.
• Lançamento de livros: Rosana Monteiro, Alexandre Nascimento, Éle Semog e Renato Noguera.
Inscrições pelo email forumetnicoracialrj@gmail.com
*Os certificados serão entregues durante o evento a partir das 17h30m.



domingo, 11 de novembro de 2012

Semana de Letras agita Anhanguera São Caetano

Evento gratuito ocorre nos dias 12 a 14 e 21 a 23 de novembro

A Faculdade Anhanguera de São Caetano promove a Semana de Letras, de 12 a 14 e de 21 a 23 de novembro, das 19h30 às 22h. O evento, organizado pelo grupo Letras em Ação e pela coordenação da graduação em Letras, terá para esta edição o tema “Reflexos da formação contínua: teoria-docência-pesquisa em sala de aula”.


A iniciativa é gratuita e aberta ao público externo, tendo por objetivo debater os novos caminhos da Literatura, produção textual e da docência, gerando reflexão em alunos e participantes.



A abertura da Semana de Letras acontece nesta segunda (12/11) e contará a Aula Magna sobre “Produção textual: uma questão de gênero”, com a docente ligada a Coordenadoria Geral de Especialização, Aperfeiçoamento e Extensão (COGAE) da PUC –SP, Ermelinda Maria Barricelli. Para o dia seguinte, a programação conta com a mesa-redonda “Mito, memória e utopia na Literatura Brasileira”, que será mediada pela professora Carla Magatti.



Fechando este primeiro ciclo de atividades, na quarta (14), o coordenador da graduação em Letras da Anhanguera de São Caetano, professor Sidnei Barreto Nogueira, ministra “As várias faces do ressentimento: uma análise com base na semiótica de Greimas e Fontanille”.



Dando continuidade, o ciclo de palestras recomeça no dia 21 com a palestra do professor Ítalo Meneghetti Filho sobre “Até onde pode ir a literatura: as relações entre produção literária, pesquisa e a carreira docente”. Na terça, é a vez do professor Fernando Ribeiro guiar os debates com a temática sobre “A importância da língua inglesa e o papel do aluno BA aprendizagem de uma língua estrangeira: porque é possível aprender”



Encerrando as atividades da Semana de Literatura, os estudantes do 1º ao 6º semestres do curso realizam um Sarau e Exposição dos trabalhas da ATPs (Atividades Práticas Supervisionadas) .


Serviço:

Semana de Letras “Reflexos da formação contínua teoria-docência-pesquisa em sala de aula”
Faculdade Anhanguera de São Caetano

Data: De 12 a 14 e de 21 a 23 de novembro
Horário: Das 19h30 às 22h
Local: Auditórios I e II
Endereço: Rua Conceição 321, bairro Santo Antônio, São Caetano do Sul
Evento Gratuito e sem inscrição



Sobre a Anhanguera Educacional Participações S.A.

A Anhanguera Educacional Participações S.A é o maior grupo educacional da América Latina em número de alunos. Alinhada à nova fase de desenvolvimento do Brasil, a Instituição oferece ao jovem profissional conveniência e conteúdo compatível com o mercado de trabalho em seus cursos de graduação, pós-graduação e extensão, contribuindo com o projeto de vida dos alunos de crescimento e ascensão profissional. A companhia é líder no uso de novas tecnologias no setor educacional e está presente em todos os estados brasileiros, com 70 campi e mais de 500 unidades de educação a distância, incluindo a Rede LFG, maior especialista na preparação e qualificação de profissionais para atuar com excelência no setor público. Reconhecida pelas melhores práticas de governança corporativa, ingressou na BM&FBovespa em março de 2007 e, atualmente, integra o Novo Mercado.

Alfapress Comunicações
Adelson Júnior – (11) 99909-6837
Luciana Oliveira – (19) 9795-5961
Central de Atendimento aos Jornalistas
Fone: (19) 2136-3530



sábado, 10 de novembro de 2012

A PEQUENA ÁFRICA NO MIDRASH

Fonte: MIDRASH Júnia Azevedo
Assessoria de Imprensa  


Ciclo RAÍZES CARIOCAS 
debate a identidade cultural brasileira a partir da convivência entre judeus, árabes, negros e ciganos no Centro do Rio

No dia 7 de novembro, o Midrash Centro Cultural abriu o ciclo de eventos sobre a criação da identidade cultural brasileira pela mistura de raças ocorrida nos séculos XIX e XX, no Rio de Janeiro. O primeiro encontro, sobre a Pequena África, reuniu Gracy Mary Moreira (bisneta da Tia Ciata), Luiz Carlos Prestes Filho (filho de Luiz Carlos Prestes e especialista em Economia da Cultura), Mio Vacite (presidente da União Cigana do Brasil) e Milton Mendonça Teixeira (arquiteto e historiador).

“Há duas manifestações que nos definem como brasileiros: o samba e o carnaval. E ambos nasceram ali, na Pequena África", disse Prestes sobre a zona portuária, que abraça hoje os bairros da Saúde, Gamboa e Santo Cristo. “Com as obras da Copa e das Olimpíadas, a região tem sido desconfigurada novamente, sendo chamada de Porto Maravilha. Essa área deveria ser identificada como território fundamental da cultura brasileira”, afirmou. Prestes contou que mais de 80 escolas de samba que ocupam a área vêm sendo despejadas. “Por que construir um Museu do Futuro num lugar com um passado tão rico?”, perguntou, comentando que o melhor seria preservar e não apagar os rastros de uma cultura tão rica. “O Rio é um grande laboratório de brasilidade. É como se fôssemos o Brasil em miniatura”, disse.

                         

Em seguida, com muito humor, o historiador Milton Teixeira exibiu fotos e contou curiosidades sobre a história da cidade. Ao mostrar imagens da antiga Praça 11 e de outras belas construções destruídas ao longo dos anos, ele comentou: “Sempre existiu entre as elites uma vontade grande de apagar o negro e o pobre”. Milton contou que a Pequena África sempre recebeu de braços abertos os imigrantes. “Aos poucos a área se configurou com um gueto negro e judeu. O Rio propiciou uma rara fusão entre negros e judeus”, contou.

Em seguida, Gracy Mary Moreira falou sobre sua bisavó Tia Ciata, a mãe de santo em cuja casa o samba nasceu. Sempre aberto para pagodes, o local reunia negros, judeus, italianos e ciganos em torno dos tambores. “Tia Ciata estimulava esse respeito às diferenças”, contou Gracy. “A Pequena África é a pátria do samba e a casa da Tia Ciata, a sua capital”, emendou Prestes. Para finalizar, Mio Vacite explicou sobre a presença dos ciganos na cidade, falando que, ao longo do tempo, eles foram sendo excluídos do convívio com as elites. “Os ciganos eram frequentemente chamados para animar as festas da corte, com suas músicas e danças”. Depois que um historiador no século XIX (Heinrich Grellman) taxou-os de ladrões, teve início um grande preconceito contra o povo. Mio contou também sobre as heranças dos ciganos na nossa cultura, como a introdução do violão de sete cordas.

                            

Na plateia, destacavam-se figuras importantes do samba e da nossa cultura popular, como Mãe Regina de Oxossi, Betinha (presidente da Escola de Samba de Vigário Geral), Verinha do Cavaco (do Grupo Feminino Negras Raízes), Claudio Peixe (da Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro) e Tia Holanda (presidente da ala das baianas, da Escola de Samba de Vigário Geral
).

Continuando o ciclo, no dia 13 novembro, o Midrash promove o encontro SAARA – Um exemplo de coexistência entre árabes e judeus. A noite começa com a exibição do curta-metragem “Saara: Oásis de Amizade”. Depois, há a palestra com o comerciante judeu Henrique Nigri e o árabe Demétrio Habib. No dia 22 de novembro, o tema é PRAÇA XI – O Rio Judaico, com a Doutora em Economia Política Fânia Fridman. No dia 25 novembro, o programa termina com o CIRCUITO O RIO JUDAICO, um passeio ao Centro do Rio em busca das heranças judaicas na arquitetura e no estilo de vida da população.

MIDRASH CENTRO CULTURAL
Rua General Venâncio Flores, 184
Leblon- Rio de Janeiro - RJ
55(21) 2239-1800



domingo, 21 de outubro de 2012

MIDRASH CENTRO CULTURAL - PEQUENA ÁFRICA O VENTRE DO BRASIL.


Dia 07 de novembro, quarta-feira às 20h30
PEQUENA ÁFRICA
O VENTRE DO BRASIL
Abordagem sobre o caldeirão de raças que foi durante tantos anos a região central do Rio, favorecendo a convivência pacífica de culturas tão diferentes como judeus, árabes, negros e ciganos.
Programação:
 Mesa
LUIZ CARLOS PRESTES FILHO [Especialista em Economia da Cultura)
GRACY MARY MOREIRA [bisneta de Tia Ciata]
MIO VACITE [Presidente da União Cigana do Brasil]
MILTON DE MENDONÇA TEIXEIRA [Historiador]


Serão apresentadas fotografias históricas, tabelas e gráficos sobre o desenvolvimento da Zona Portuária do Rio de Janeiro.

Na Zona Portuária do Rio de Janeiro, conhecida como Pequena África, nasceu o samba; o carnaval; o escritor Machado de Assis. O compositor Ernesto Nazareth; o sambista Paulo da Portela; a primeira favela (Providência);  a primeira Escola de Samba (Deixa Falar); o primeiro bloco carnavalesco (Fala Meu Louro); e a primeira gafieira. É importante, durante o processo de modernização estar atento para preservar estas raízes.


Luiz Carlos Prestes Filho | Em 2005 lançou o livro CADEIA PRODUTIVA DA ECONOMIA DA MÚSICA, resultados de três anos de pesquisas. Trabalho que, inclusive, identificou as atividades do Arranjo Produtivo Local (APL) de Conservatória, distrito do município de Valença, Estado do Rio de Janeiro. Levantamento sócio-cultural que atraiu o interesse do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento e de outros organismos nacionais. Hoje o APL de Conservatória é reconhecido como o primeiro APL da Cultura em toda América Latina.

Desde 2007 está no cargo de Assessor para o Desenvolvimento da Indústria Cultural da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços do Rio de Janeiro (SEDEIS).

Em 2009 lançou o livro CADEIA PRODUTIVA DA ECONOMIA DO CARNAVAL, baseado no estudo realizado entre 2006/2009.

Em 2010 assumiu a Vice-Presidência da Associação das Escolas de Samba da Cidade do Rio de Janeiro (AESCRJ)


Gracy Mary Moreira |  Presidente da ORTC- Organização Cultural Remanescentes de Tia Ciata. Membro Comitê Gestor Estadual de Políticas de Erradicação do Sub-Registro Civil de Nascimento e Ampliação do Acesso à Documentação Básica do Estado do Rio de Janeiro. Membro da Executiva do  Fórum Permanente de Educação e Diversidade Étnico Racial do Estado do Rio de Janeiro. Membro  do  CEN (Coletivo de Entidades Negras).
Membro Comitê Saúde da População Negra RJ. Bisneta de Tia Ciata  , Filha de Bucy Moreira ( Músico e Compositor e Neto de Tia Ciata) e Nanci Moreira ( Uma das Mães do Samba do Rio de Janeiro). Diretora de Produção Cultural e Pesquisadora .

Milton de Mendonça Teixeira, Formado em Arquitetura pela Universidade Santa Úrsula e pós graduado em História e Arte pela PUC -Rio, vários livros publicados e artigos em jornais, revistas. Possui pequeno programa na Rádio Globo aos sábados, onde divulga aspectos de nossa História.
É um apaixonado pela Cidade Maravilhosa. Ainda criança, enquanto os amigos brincavam na calçada, preferia ficar debruçado sobre A História das Ruas do Rio. Carioca de Botafogo, formou-se em Arquitetura, na Santa Úrsula. Foi trabalhando em projetos de reforma de prédios históricos que encontrou seu verdadeiro caminho. Desde então, mergulhou na História. E quando vem à tona é para escrever um livro, produzir um CD-ROM ou colaborar num projeto audacioso como este que O DIA inaugura hoje.

Milton é um dos criadores do Projeto Conheça o Rio a pé, da Riotur, que ensina a História da cidade a turistas. É diretor cultural do Sindicato Estadual dos Guias Turísticos, professor de História em três universidades e sete entidades de atendimento à terceira idade.

Milton Teixeira possui seis livros publicados, escreve regularmente para três periódicos, dá consultoria e entrevistas aos jornais O GLOBO; Jornal do Brasil; O Dia; Extra, etc. É autor de dois CD Roms sobre a História do Poder Legislativo Municipal do Rio de Janeiro, por encomenda da Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro.

Possui mais de 40 cursos diversos sobre turismo e história.

Em sua carreira de professor e pesquisador de história fez inúmeras descobertas históricas e recebeu premiações de mérito.

Mio Vacite | fundou em 1990 a União Cigana do Brasil, com a proposta de resgatar, moralizar e preservar a cultura desse povo. A entidade é reconhecida como representante da cultura cigana no Brasil pela Internacional Roma Federation, INC, filiada à ONU.

MIDRASH CENTRO    CULTURAL
Rua General Venâncio   Flores, 184
Leblon- Rio de Janeiro - RJ
55(21) 2239-1800
 gratuito vagas limitadas




sábado, 20 de outubro de 2012

II Mostra Internacional da Mulher Negra - MIMUNEGRA- 2012, Saúda TIA CIATA!



MIMUNEGRA
Dia 18, próxima quinta-feira,das 15h as 22h, no Centro de Artes Calouste Gulbenkian, Pça.XI, Centro do Rio.
A Mostra Internacional da Mulher Negra MIMUNEGRA- 2012 – A Mulher Negra em Cena saúda Tia Ciata é a celebração da Resistência da mulher negra na cena teatral brasileira. Celebração e indignação pela ausência de políticas públicas, que valorizem suas histórias, trajetórias, que permitam  que  produzam, escrevam, atuem  e  sejam capazes de sobreviver dignamente  do ofício de ser artista.
Apesar de todos os entraves, na década passada, exaustas do obscurantismo e descaso a que estavam submetidas na cena teatral brasileira, mulheres negras artistas, por iniciativas próprias, é importante ressaltar, por iniciativas próprias, escreveram, dirigiram, atuaram e produziram espetáculos, resgatando para si o protagonismo da cena.
No intuito de celebrar, festejar e convidar para a reflexão toda a nossa sociedade sobre a temática, será realizado no dia 18 de outubro de 2012 no horário das 15h Às 22h no Teatro Gonzaguinha, situado no Centro de Artes Calouste Gulbenkian, localizado na Benedito Hipólito, 125 – Centro, Rio de Janeiro / RJ, a II Mostra Internacional da Mulher Negra – Mimunegra

Confiram a programação:

Apresentação: Lu Lopes
15h00 – 15h20 – Início do Evento – Auditório
15h20 – 16h20 – Palestra Dra.Helena Theodoro – Mimunegra Saúda Tia Ciata
16h20 – 16h40 – Cia Corpafro  - Direção: Eliete Miranda
16h40 – 17h00 – Janaina Oliveira – Re-Fém
17h00 – 17h10 – Seminário – Apresentação Mimunegra – Idealizadoras Débora almeida, Iléa Ferraz e Jana Guinond.
17h10 – 18h20 - Debate – Políticas Públicas para Mulheres Negras.
Mediadora: Adriana Baptista
Coordenadoria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial do Rio de Janeiro(CEPPIR/RJ) -  - Lellete Couto;
Superintendência dos Direitos da Mulher (SUDIM) da Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos (SEASDH)  - Angela Fontes
Superintendente de Promoção da Igualdade Racial SUPIR/RJ  –   Marcelo Dias
Coletivo de Mulheres Negras Artistas Matamba - Clécia Sant’anna (Representante de Goiânia) – atriz, cantora e produtora cultural (Aspectos da produção artística das mulheres negras em Goiás e o surgimento do coletivo)
Abertura para o público
19h00 – 19h20 – Performances - Amas de Leite, Mães do Brasil. – Direção: W.Santiago
20h00 – 21h00 – Coquetel (Mercado das Artes) – Confraternização.
CANDACES MIMUNEGRA
Ficha Técnica
Helena Theodoro – Doutora em Filosofia, mestre em Educação, coordenadora do Núcleo de Estudos Afrobrasileiros do Departamento de Ensino Superior da FAETEC, coordenadora da Pós-graduação de Figurino e Carnaval da Universidade Veiga de Almeida , Professora da Universidade Estácio de Sá e vice-presidente do Fundo Elas.
Cia Corpafro - A Cia Corpafro nasceu a partir de um bate papo com alunos do projeto A ARTE DE DANCAR AFRO em 08 de maio de 2005 tendo como proposta unir a dança, teatro e poesia como um fio condutor do corpo contemporâneo afro brasileiro. Tendo como base o resgate e memória da dança afro como totalidade e as relações com manifestações culturais a fim de participar do cenário da arte como ações afirmativas.
Ficha Técnica: Direção Preparação corporal -Eliete Miranda / Direção vídeo Fotografia- Flavia dos Prazeres / Direção Musical- Francois Archanjo / Samira R Marques -Atriz dançarina / Claudia Leopoldo – Atriz dançarina / Taise Lima – Atriz dançarina / Rafael de Paula –Ator dançarino / Elaine Raimundo – Atriz dançarina
Janaina Oliveira – Re-Fém(a confirmar) – Feminista, MC, Cineasta, Publicitária, Produtora, Ativista dos Movimentos de Mulheres e Juventude Negra, Ganhadoras do I Prêmio Nacional de Cultura Hip Hop na categoria Conhecimento. Como cineasta destacamos os trabalhos de Roteiro e Direção dos Documentários Rap de Saia e Mães do Hip Hop, Direção da Série Re-Visão – Racismo Institucional e Roteiro e Direção dos videoclipes: Rosas (com mais de 2 milhões e 200 mil de acessos só no Youtube) e Enterro do Neguinho, ambos do grupo Atitude Feminina.  Na ONG Estimativa faz parte da Coordenação do Núcleo de audiovisual de mulheres Cinemina.
Adriana Baptista – Publicitária; Produtora, Jornalista; Gestora da loja virtual de Produtos e Serviços de Comunicação adrianabaptista.com ;  jornalista do blog MOVIMENTO&MÍDIA; Coordenadora do Projeto ACORDO DE DAMASColunista Socialde. AFROPRESS – Agência afro-étnica de notícias e Jornalista colaboradora de QUIGERAL Rádio TV.
Coordenadoria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial do Rio de Janeiro (CEPPIR/RJ) - Órgão vinculado à Casa Civil criado pelo Prefeito Eduardo Paes em fevereiro de 2009, tem como responsabilidade de elaborar e implementar políticas públicas de promoção da igualdade racial na cidade agindo de forma transversal em toda a estrutura governamental.
Superintendência dos Direitos da Mulher (SUDIM) pertence a  Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos (SEASDH)

Superintendência de Promoção da Igualdade Racial – SUPIR/RJ  ligada a Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos.
Coletivo de Mulheres Negras Artistas Matamba  - Mulheres negras trabalhando em prol da disseminação da cultura e arte afro-brasileiras em Goiânia e no interior do estado. O coletivo foi criado, antes de tudo, para discutir o mercado de trabalho para artistas negros, especificamente para que mulheres negras possam também protagonizar a cena cultural de Goiânia.
Sinopse
Corpos e Tambores – Cia Corpafro
De onde vem este ritmo? Vem dos tambores temos como uma das referencias o Djembe e um tambor originário de guine da África Ocidental,sendo muito importante nas culturas africanas sobretudo nas regiões mandingue, que compreende os países Mali,Costa do Marfim,Senegal,Guine e BURKINA FASO.
Tem como envolvimento os fragmentos de lutas que vem sendo travadas há muito tempo pela mulher resgatando a historia do tambor junto aos corpos e ao mesmo tempo buscando o universo feminino através de suas funções milenares.
Na linguagem de gestuais propomos uma releitura sobre o povo de Burkina Faso e focalizamos o sentido de resistência e fortaleza que habita a doçura do olhar do falar do nascimento e renascimento propiciado pela mulher.
Hoje já podemos mostrar este enfrentamento e estas conquistas através da arte em geral como atitude e transformação da própria sociedade.
Amas de Leite, Mães do Brasil -
Amas de Leite, Mães do Brasil é uma experiência estética de aproximadamente 10 minutos, que reconstrói a presença das amas de leite como singulares protagonistas na geração da ideia de família, de afeto a infância e de proximidade feminina no Brasil.
O trabalho protagonizado por jovens artistas negras da periferia aproxima tecnologia, arte, memória visual do Brasil oitocentista e fotografia, num combinatório cênico conectado de investigação e ativismo social.
Idealizadoras
Débora Almeida – Atriz, bailarina, produtora cultural, professora e pesquisadora em Artes Cênicas, Pós-graduada em Arteterapia em Educação e Saúde pela Universidade Cândido Mendes, formada em Educação Artística-Licenciatura Plena em Artes Cênicas(UNI-Rio), Bacharelado em Interpretação Teatral(UNI-Rio)
Iléa Ferraz - Atriz, diretora, produtora e artista plástica. Indicada ao PRÊMIO SHELL DE TEATRO (2003), na categoria melhor atriz, com o espetáculo “Nunca Pensei Que Ia Ver Esse Dia.”Entre seus principais trabalhos na tv destacam-se as novelas: A Padroeira (Rede Globo) / Xica da Silva (Manchete) / Helena (Rede Manchete) / Pacto de Sangue (Rede Globo).
Jana Guinond  - Atriz, Coordenadora da Estimativa, estudante de Pedagogia CEDERJ/UERJ, Conselheira e Vice-presidenta de Relações Institucionais do COMDEDINE – Conselho Municipal de Defesa dos Direitos do negro e Conselheira Deliberativa do Fundo Social Elas, ex-apresentadora de um Programa de TV WEB da Petrobras.
 Apoio Institucional
Apoio
Secretaria Municipal  de Cultura do Rio de Janeiro
Estimativa
Pérola Negra Produções
Burburinho Produções
Maiores informações: www.estimativa.org.br