A Organização Cultural Remanescentes de Tia Ciata (ORTC), fundada em 2007 por descendentes de Hilária Batista de Almeida (1854-1924), tem como missão a promoção da cultura e a conservação do patrimônio histórico e artístico, através de atividades culturais, direcionadas à educação, saúde, defesa da mulher, desporto e meio ambiente. Sua presidente Gracy Mary Moreira, bisneta de Tia Ciata, representa quatro gerações inseridas de corpo e alma no florescimento da cultura afro-fluminense.

terça-feira, 7 de junho de 2011

Delegados do Rio participam de curso para aprender a lidar com crimes de Intolerância Religiosa.

Delegados de Polícia Civil de todo o estado do Rio de Janeiro participaram,
no dia 31 de maio, de um seminário de capacitação, com o objetivo de
ensiná-los a lidar com a intolerância religiosa. O curso foi uma ideia da
própria Polícia Civil e da organização não governamental Comissão
de Combate à Intolerância Religiosa do Rio.


Segundo a chefe da Polícia Civil, delegada Martha Rocha, a instituição
conta com um núcleo de combate à intolerância religiosa, mas o objetivo
do seminário é conscientizar todos os delegados fluminenses sobre a
importância de se aplicar a Lei 7.716 de 1989 (Lei Caó), que prevê pena
de até três anos de prisão para aqueles que cometam crimes contra a
religião de outras pessoas.

“A verdade é que hoje estamos estendendo a toda a Polícia Civil, de todo
o estado, essa qualificação, para que em todos os lugares do Rio um
policial civil seja capaz de identificar um fato que tenha o viés da
intolerância religiosa”, disse Martha Rocha.

Segundo Ivanir dos Santos, representante da Comissão de Combate
à Intolerância Religiosa, os crimes contra a religião têm aumentado
nos últimos anos no Brasil e também, especificamente, no Rio de Janeiro.

“Muitos delegados ainda não sabem como lidar com esse crime. Muitos
o minimizam. Alguns, por sua própria convicção religiosa, acabam
não aceitando o crime. Mas o Estado é laico e a polícia é a mantenedora
do Estado Democrático de Direito. A polícia pode contribuir para que esse
tipo de atitude não crie um desequilíbrio na sociedade”, disse Ivanir dos Santos.

Os policiais assistiram a vídeos e palestras e receberam uma cartilha
que ensina como os delegados devem lidar com a intolerância religiosa.
Fonte: Agência Brasil, em 31/05/2011.

Nenhum comentário:

Postar um comentário