Pesquisar neste blog

domingo, 27 de março de 2011

UM SUCESSO!!! A EXPOSIÇÃO DE JOÃOZINHO DA GOMÉIA.

Exposição de Joãozinho da Goméia em Duque de Caxias

A Prefeitura de Duque de Caxias abriu as portas do seu salão de exposições,para a mostra da vida de Joãozinho da Goméia. Um dos motivos dessa exposição é de mostrar para a população a importância cultural e religiosa que Joãozinho trouxe para o Município, e a outra é a de mais uma vez, apresentar às autoridades, junto as assinaturas colhidas, o pedido da criação do Centro Cultural ou Instituto Joãozinho da Goméia, no local onde o seu Axé ficou por muitos anos.

No dia 24 de março, abertura da Exposição, mais de 200 pessoas passaram pelo local entre autoridades de governo, religiosos de diversos seguimentos (umbandistas, candomblecistas, católicos, evangélicos, muçulmanos), estudantes, professores, simpatizantes. A emoção tomou conta do lugar!!!
Alunos visitam a exposição
As roupas e outros usuarios
Joãozinho e Kitala no O Cruzeiro
A abertura
Como foi ele em Caxias

O respeito
Kitala e convidados
Kitala e Agenor
Boas vindas
A historia e a vida de Joãozinho

Fonte: Centro Cultural Agué Marê

quarta-feira, 23 de março de 2011

Educadoras receberam a medalha da Ordem Nacional do Mérito




Educadoras receberam a medalha da Ordem Nacional do Mérito
Entregue pela presidente Dilma Rousseff


diretrizes e colocou definitivamente a cultura negra


22/3/2011 8:10:00

Assessoria de Comunicação Social (MEC)
em cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília. Os perfis das ganhadoras
são variados, desde acadêmicas de renome até professoras do interior do país,
mas o empenho em prol da educação as iguala como cidadãs exemplares.

excepcional, tenham se tornado merecedores desta distinção”, conforme diz o documento.

comunidade, no Paraná. Passados 39 anos, ela é uma das onze
educadoras que receberão a medalha da Ordem do Mérito, como
reconhecimento pela sua atuação na preservação do idioma caingangue
. Para a professora, que já era condecorada entre os povos indígenas,
o título demonstra a gratidão também dos “povos brancos”. “Nunca imaginei

também das mulheres. Tanto as comunidades beneficiadas pelo
desempenho das professoras quanto técnicos do Ministério da
Educação e de outros órgãos federais estiveram envolvidos na escolha

Para acessar o perfil das professoras.

Fonte: 21/03/2011 - sítio do Ministério da Educação (MEC).


terça-feira, 22 de março de 2011

Caixa Cultural promove Ciclo de Conferências sobre a Canção Popular Brasileira

CAIXA Cultural Rio de Janeiro

PARA OUVIR UMA CANÇÃO

22 a 31 de março de 2011 - Ciclo de Conferências sobre a
Canção Popular Brasileira

A CAIXA Cultural Rio de Janeiro apresenta, no período de 22 a 31 de março de 2011, no Cinema 2, o ciclo de conferências Para ouvir uma canção que reunirá sete dos mais expressivos pesquisadores sobre o tema Canção Popular Brasileira. Os participantes que tiverem 60% de frequência receberão certificado, além de um livro-catálogo composto por textos assinados pelos conferencistas.

As conferências permitirão que os estudiosos apresentem, de acordo com suas linhas de pesquisa, questões a respeito das possibilidades de recepção do cancioneiro nacional. Ao longo de duas semanas, os especialistas convidados tratarão de temas relacionados à canção popular, tais como: filosofia, sexo, poesia, memória, internet, entre outros.

O ciclo pretende oferecer ao público a oportunidade de debater a diversidade musical brasileira, assim como explorar seus diversos caminhos de criação e apreciação, e também trazer à discussão quais as principais características da canção popular que ouvimos nos dias de hoje, e contribuir para que possamos ficar mais atentos às suas transformações.

Abrindo a programação na terça-feira (22), o escritor e pesquisador musical Rodrigo Faour (autor dos livros “História Sexual da MPB” e “Bastidores – Cauby Peixoto: 50 anos da voz e do mito”) fala sobre “O sexo na canção popular”. Na sexta-feira (25), o jornalista e crítico musical Mauro Ferreiraexplica como fazer crítica de canção na atual era da internet.

O evento tem entrada franca e contará também com a participação dos especialistas Marcelo Moutinho, Júlio César Valladão Diniz, Santuza Cambraia Naves, Gaspar Paz e Cláudia Neiva de Matos. A curadoria é dos pesquisadores André Masseno (Arte e Literatura) e Tiago Barros (Filosofia e Literatura). Confira a programação completa.

Programação

22/03/2011 - terça-feira
O sexo na canção popular
por Rodrigo Faour (autor de “História Sexual da MPB”, biógrafo e consultor do MIS)

23/03/2011 - quarta-feira
Polifonia na canção popular
por Santuza Cambraia Naves (autora de “Da bossa nova à tropicália” e “Canção popular no Brasil”, entre outros)

24/03/2011 - quinta-feira
Interpretação e canção popular
por Gaspar Paz (pesquisador, músico, co-organizador do livro “Música em debate”)

25/03/2011 - sexta-feira
A crítica de canção na era da internet
por Mauro Ferreira (crítico, editor de música de O Dia, autor do blog “Notas Musicais”)

29/03/2011 - terça-feira
A canção que carrega a memória
por Júlio César Valladão Diniz (escritor, ensaísta, coordenador do Núcleo de Estudos em Literatura e Música da PUC Rio)

30/03/2011 - quarta-feira
A canção popular e a cidade cartografada
por Marcelo Moutinho (jornalista, escritor, curador, organizador do livro “Canções do Rio”
)

31/03/2011 - quinta-feira
A performance vocal e suas ressonâncias
por Cláudia Neiva de Matos (pesquisadora, escritora, co-organizadora de “Ao Encontro da Palavra Cantada”
)

Serviço
Ciclo de conferências “Para ouvir uma canção”
Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Cinema 2
Datas: Dias 22 a 25 de março (terça a sexta), e 29 a 31 de março (terça a quinta)
Horário: 19h
Endereço: Rua Almirante Barroso, 25, Centro (Metrô: Estação Carioca)
Telefone: (21) 2544-4080
Classificação etária: Livre
Inscrições gratuitas em: www.ouvircancao.blogspot.com
Acesso para portadores de necessidades especiais

Fonte: Nossa Dica, Assessoria de Imprensa CAIXA Cultural Rio de Janeiro


sexta-feira, 18 de março de 2011

Qualificação gratuita em audiovisual para jovens, crianças, e capacitação metodológica para educadores de escolas públicas




INSCRIÇÕES ABERTAS PARA CURSO GRATUITO DE CINEMA!

A Escola Livre de Cinema de Nova Iguaçu abre seus trabalhos em 2011 com fôlego renovado, muitas idéias na cabeça, catando elementos pelo território, copiando, colando e várias câmeras nas mãos dos jovens da Baixada Fluminense.

Nos seus poucos mais de quatro anos de atividade, a escola já colocou no mercado de trabalho fotógrafos, diretores, roteiristas, produtores e, principalmente, apaixonados por cinema – não é sem motivo que vários ex-alunos são também cineclubistas. Muitos deles completam o ciclo como professores da ELC, repassando o conhecimento adquirido nos tempos de aluno e servindo de exemplo e incentivo para os que chegam. Eles têm como companhia no corpo docente nomes consagrados do cinema brasileiro.

Para 2011, uma das grandes apostas é a dobradinha música e imagem. A escola estará aberta para receber músicas de bandas e artistas de todo o País e transformar em clipes que, a princípio serão divulgados no Youtube.

A Petrobras, nova patrocinadora do projeto, chega através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura (ICMS). Com isso, a ELC ganha força para continuar a investir na qualificação audiovisual para jovens, crianças, além de capacitação metodológica para educadores de escolas públicas.

Vagas limitadas, garanta a sua!

Informações sobre inscrições:
Telefone: 2886-3889
E-mail:
elcni2011@gmail.com


Fonte: Governo do Estado RJ

terça-feira, 15 de março de 2011

Guerreira Mulher chamada VANDA FERREIRA .

No Dia Internacional da Mulher homenagem merecida à Vanda Ferreira feita pela Petros.

acessem este link abaixo. o http://www.truetech.com.br/webtvconsole/usuario3.0/webtvconsole.php?console=179&canal=0&video=0

A ORTC com muito carinho faz uma singela homenagem com algumas entre muitas ações feitas e recebidas por esta Guerreira Mulher Negra chamada VANDA FERREIRA!

Vanda Ferreira, pedagoga

Vanda Maria de Souza Ferreira é graduada em Pedagogia pela Suam, em 1967. Pós-graduada em História da África e Cultura Afrobrasileira pela UCAM, 2008. Atualmente, como Ouvidora da Fundação Petrobras de Seguridade Social – Petros - criou o Comitê Pró-Equidade de Gênero, Raça e Diversidade.

Com 39 anos de magistério, atua desde 1969 junto aos excluídos. Foi Diretora de Divisão de Educação e Cultura do DESIPE.

Na Educação Pública, Vanda Ferreira é a segunda Secretária de Estado negra, ao assumir a Secretaria Extraordinária de Defesa e Promoção das Populações Negras do Estado do Rio de Janeiro. Destacou-se como membro do Conselho Estadual de Educação, Conselho Universitário da UERJ, Conselho Municipal de Defesa dos Direitos do Negro, Conselho Estadual de Cultura e Conselho Penitenciário, além de ocupar importantes cargos como o de Subsecretária Adjunta de Direitos Individuais, que integra a Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Sistema Penitenciário.

Vanda Ferreira também ocupou a Presidência da Fundação Santa Cabrini, órgão responsável pelo trabalho dos apenados de regime fechado e aberto.




HOMENAGEM À MULHER

Para marcar a celebração do centenário do Dia Internacional da Mulher, a Real Grandeza realizou no dia 11 de março, em seu auditório, uma programação especial com a palestra da Ouvidora do fundo de pensão PETROS, Vanda Ferreira, que sobre “O papel da Mulher na Sociedade Brasileira”. Formada em pedagogia, Vanda Ferreira tem um papel importante em diversos programas voltados para a inserção da mulher, como o O ELAS - Fundo de Investimento Social, instituição em que atua como conselheira.
Ainda na programação, o Grupo de Teatro Real em Cena – formado por empregados da Real Grandeza e aposentados – apresentou o espetáculo O Gabinete, que trata de temas importantes para o debate atual na sociedade brasileira tais como discriminação e assédio. Além disso, a Coordenação de Responsabilidade Socioambiental fez para os presentes a divulgação dos resultados do Plano de ação da Real Grandeza para o Programa Pró-Equidade de Gênero, da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres.
Esse evento de comemoração na Real Grandeza foi realizado no dia 11 de março 2010, mas o Dia Internacional da Mulher é festejado em 8 de março. No entanto, naquele dia, a Real Grandeza participou – representada por seu diretor-presidente, Aristides Leite França, e de sua Diretora Ouvidora, Tania Vera – de outro evento comemorativo, promovido pela Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, na Estação Ferroviária Leopoldina, Rio de Janeiro, no qual também participaram o Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e da Ministra da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, Nilcéa Freire.


Ouvidoria é tema de encontro em Macaé
Jornalista: Assessoria de Imprensa

Com o objetivo de divulgar o setor da ouvidoria, Macaé será palco do I Encontro de Ouvidoria e Cidadania da região. O evento, que ocorre nesta terça-feira (13), reunirá palestrantes de todo o Estado do Rio de Janeiro, abordando a parte histórica e os diversos setores da ouvidoria. O encontro será no auditório do Serviço Nacional de Aprendizagem (SENAI), na Estrada da Virgem Santa, sem número – quadra 2, no bairro Virgem Santa, a partir das 8h30m.

O encontro é realizado pela Associação Brasileira de Ouvidores (ABO) – seção Rio de Janeiro, presidida por Rui Maldonado, em parceria com a Representação Regional de Macaé – III região, representada pelo Ouvidor Geral de Macaé, Décio Braga. Este encontro firma ainda o município como sede da III Região.

Décio lembra que o ouvidor possui um papel fundamental na sociedade. “Somos mediadores de conflitos e, com isso, buscamos sempre uma solução para os problemas apresentados pelos cidadãos. Lembrando que a ouvidoria é um canal para a empresa saber a opinião das pessoas, por isso ela recebe desde críticas a sugestões e elogios”, disse, durante reunião com
o ouvidor adjunto da prefeitura de Macaé, Waldir Júnior, o coordenador de Marketing da Secretaria de Comunicação de Macaé, Éliton Coelho e o assistente da ouvidoria Pablo Ramon,
para acertar os últimos detalhes do evento.

A Ouvidora Geral da Secretaria de Estado de Saúde e Defesa Civil do Rio de Janeiro, Márcia Lopes, uma das palestrantes do evento, fala da importância da realização de um evento como este. “Acho esta iniciativa da ABO muito importante para a disseminação do fomento da ouvidoria dentro do Estado do Rio, setor este que vem para estreitar a relação entre empresa e cidadão. A minha palestra abordará o Sistema Único de Saúde (SUS) e o funcionamento da secretaria de Saúde e Defesa Civil do estado”, explica.

Para o empresário do ramo imobiliário, Júlio Caldas, este evento deixará a sociedade mais informada do papel exercido pela ouvidoria dentro das empresas. "É com muita satisfação que apoiamos este evento de grande importância para a sociedade, não só macaense, mas de todo o estado do Rio de Janeiro. Pois, com isso, teremos cidadãos mais conscientes de seus direitos", finaliza o empresário.

A terceira região engloba 17 municípios. São eles: Araruama, Arraial do Cabo, Armação dos Búzios, Cabo Frio, Campos dos Goytacazes, Carapebus, Casimiro de Abreu, Conceição de Macabu, Iguaba Grande, Macaé, Quissamã, Rio Bonito, Rio das Ostras, São João da Barra, São Pedro da Aldeia, Saquarema e Silva Jardim.

O encontro conta com o apoio da Fundação Macaé de Cultura, do FUMDEC, Câmara de Vereadores de Macaé, da Firjan – SESI/SENAI, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE/RJ), Associação Comercial e Industrial de Macaé (ACIM), Câmara de Dirigentes e Logistas de Macaé (CDL), Júlio Caldas Imóveis, Mil Artes Comunicação Social, Gráfica Silva Santos e Click Macaé.


Abaixo a programação completa do evento:
- 8h30: Recepção e credenciamento
- 9h30: Abertura oficial
- 10h: Palestra com a Juíza Federal Angelina Siqueira – Tema: Cidadania e Ouvidoria como instrumento de aperfeiçoamento. Ouvidoria como alternativa de conflitos
- 10h40: Intervalo
- 11h: Painel Institucional - Tema: Ouvidoria presente, passado e futuro

Palestrantes: Rui Maldonado - Presidente da Associação Brasileira de Ouvidores (ABO)
Gilberto de Lucena - Presidente do Conselho Deliberativo da ABO - RJ
Décio Braga – Representante Regional e Ouvidor Geral de Macaé
12h: Almoço
14h Painel Setorial – Com profissionais debatendo sobre a ouvidoria em diversas áreas
- Ouvidoria na Saúde: Márcia Lopes, Ouvidora Geral da Secretaria de Estado de Saúde e Defesa Civil do Rio de Janeiro
- Ouvidoria na Educação: José Augusto, professor da Secretaria de Educação, e Fred Schiffer, representante da Unigranrio.
- Ouvidoria no Setor Público: Karina Continentino Porto, Ouvidora Geral do Departamento de Trânsito do Estado do Rio de Janeiro (DETRAN) e Marcos Fonseca, Ouvidor da Secretaria de Assistência Social do Estado do Rio de Janeiro.
- Ouvidoria no Setor Privado: Walcyr Ricardo B da Silva, Ouvidor do SEBRAE/RJ
- Ouvidoria na Previdência Complementar (Acolhimento e Humanização): Vanda Ferreira, Ouvidora da Petros.
16h:30m: Encerramento.

Responsabilidade social
Empresa concorre ao selo Pró-Equidade de Gênero, do governo federal

. A Petros, primeiro fundo de pensão brasileiro a receber tal selo, concorre novamente nesta edição. Por isso, integrantes do Comitê de Diversidade da Fundação também participaram do evento.Durante palestra, o advogado Paulo Peli frisou que os gestores e demais empregados devem fi car atentos ao comportamento no ambiente corporativo. Em sua opinião, as relações de trabalho precisam estar alinhadas ao código de ética de cada empresa. Nesse sentido, destacou a importância de divulgar o documento à forçade trabalho. Peli afirmou ainda que o

primeiro

passo para erradicar o problema do assédio moral e sexual é respeitar a diversidade e romper com os preconceitos.
A ouvidora da Petros, Vanda Ferreira, fez parte do conselho consultivo do renomado “Prêmio Camélia da Liberdade 2010”, que contempla iniciativas desenvolvidas para superar as desigualdades raciais e étnicas na sociedade. Os premiados foram selecionados por um grupo de personalidades com histórias de combate à desigualdade
racial e étnica no Brasil. Reconhecida por sua militância nos movimentos sociais, Vanda fez a entrega do prêmio à jornalista Clarissa Monteagudo, responsável pela série de reportagens “Inimigos de Fé”, publicada no diário carioca “Extra”. O evento, em sua quinta edição, foi promovido pelo Centro de Articulação de Populações Marginalizadas (Ceap), no Rio de Janeiro, e homenageou o navegante negro João Cândido.Os profissionais da Petros que fazem parte do Subcomitê Pró-Equidade de Gênero, Raça e Diversidade da Fundação (Coed) também compareceram ao evento.
.

quarta-feira, 9 de março de 2011

A banda Rio Maracatu, fez homenagem neste ano à Tia Ciata.

R7 Carnaval 2011
Rio de Janeiro
Publicado em 08/03/2011 às 17h24

Em sua 14ª edição, Rio Maracatu leva multidão a Ipanema

Bloco contou a presença de aproximadamente 50 mil foliões

Jessica Ventura, do R7
Jéssica Ventura / R7
Jéssica Ventura / R7

Bateria da Banda Rio Maracatu anima uma multidão nas ruas de Ipanema

veja galeria

O Rio Maracatu, que desfila no Carnaval carioca desde 1998, arrastou uma multidão de foliões para as ruas de Ipanema na tarde desta terça feira (8), desde as 14h. A estimativa dos organizadores é de que cerca de 50 mil pessoas tenham comparecido, assim como em 2010.

A banda fez uma homenagem neste ano à Tia Ciata, a mulher que fundou as rodas de samba e ajudou na projeção do Carnaval da Cidade Maravilhosa.

Para Chicote, fundador e diretor do Rio Maracatu, o diferencial deste ano é o repertório.

- Nós preparamos um show especial para este Carnaval e esperamos agradar ao público.

O bloco, como de costume, fez uma caminhada da esquina da rua Francisco Otaviano com avenida Vieira Souto até o posto 9, onde o show continuou. O “cortejo” foi liderado por Carol Sant'anna, que toca há dez anos com o Rio Maracatu, e pela primeira vez se apresentou com o microfone nas mãos. Já a apresentação no palco é comandada pelos vocalistas Angelo B e Marcelo Mimoso.

- É maravilhoso eu me apresentar este ano como cantora, no dia Internacional da Mulher. Eu trabalho com o Rio Maracatu há dez anos e é ótimo representar o grupo com a minha voz.

A banda é composta por uma orquestra mais que especial, com arranjos assinados por Marcelo Bernardes, saxofonista de Chico Buarque e componente do Rio Maracatu desde 2007.